Artigos: Matrimônio Religioso - Enlace de Amor e Felicidade

Artigos

 

                   Deus   criou   o   ser   humano  varão  e  mulher,   com   o   encargo   de  procriar.    Abençoou-os  dizendo:   crescei,   multiplicai-vos  e  enchei  a  terra.  (Gen.  1,28).      E,  disse  ainda:   não  é  bom  que  o  homem  esteja  só,   vou  dar  uma  companheira  semelhante  a  ele  –  (Gen.  2,18).      Em   MT.  19, 4-5,   Jesus  lembra:  por   isso  deixará  o  homem  o   pai  e  mãe,  unir-se-á   a   sua   mulher  e  serão    dois   numa    só    carne.        Considera-se,    portanto,   a    instituição   do  Matrimônio como sendo  de  “ direito  natural”  desde  o  princípio  da humanidade estabelecido  pelo  próprio  Deus.

                    No  Matrimônio  Religioso  os  casais  tem  a  graça   do   Sacramento,  para  viverem  todas  as  virtudes  humanas  e  Cristã  da  convivência  familiar,  no  desígnio  de   Deus.      O    amor    Cristão   é   nobre   em    sua    fidelidade    com  particular  virtude.    São  propriedades  essenciais  do  amor  conjugal  a  unidade e  a  indissolubilidade.

                     O  amor   em   sua   instituição   Divina   é   fiel   e   exclusivo,   até   a  morte.   Fidelidade   que   por  vezes   pode   parecer  difícil,   mas  que   sempre   é  possível.

                     O   verdadeiro   amor  é  um   manancial   de   felicidade   profundo   e  duradouro.    Envolve  o  bem  de   toda  pessoa,   numa   mútua  doação.    O  amor  robustecido   na  graça  de  Deus,   eterniza  a  união  conjugal.

                      No  Matrimônio   sagrado,  se   resume  a  vida   a  dois  num   par  de  amigos  e  aliados.     Não  é  apenas   um   sonho  ou   promessa,  mas  sentimentos   partilhados  entre   duas   metades   encontradas   numa   só   chama.     É  autêntico  com entrega  total   e  compartilhado  por  toda  vida.

                      Casamento  feliz  é  aquele   que  a  paixão   existe   muitas   vezes  e  sempre  pela   mesma   pessoa.

                      No  Matrimônio  os  casais  tornam-se  parceiros  na  cumplicidade  e  na  fidelidade.    Ser  cúmplice  é  ser  luz,  caminho;    É  ter  idéias  para  seguirem  juntos   ante  as  armadilhas  do  tempo,  ao  encontro  de  refúgio  e  fortaleza.

Pe.  Jurandir  Ribeiro  de  Souza 

 Teólogo,   Filósofo  e   Escritor